13 julho 2011

Amigos

Tenho a mania de pensar que efectivamente tenho poucos amigos, amigos de verdade.
Hoje fiz um périplo pelas fotografias do meu baú de memórias e constatei que não só tenho bastantes amigos como os continuo a preservar e a enaltecer com a mesma força e intensidade de sempre. Como parte integrante daquilo em que me transformei. Ainda mais importante é o facto de ter a sensação de que o sentimento é mútuo e que a intensidade de tudo resulta desta força grande de estarmos em comunhão, desse sentido de pertença a um grupo de referência onde não existem limites, onde a liberdade não se questiona. 

4 comentários:

Palhaço Voador disse...

e mai nada!

cabelos disse...

Se tens muitos amigos és um sortudo! Eu tenho poucos, eu sei que são bons mas insuficientes, queria ter o dobro ou o triplo!! Acho que quase todos nós apreciamos a qualidade e quantidade.... hoje em dia é difícil segurar alguns valores.

Anónimo disse...

Olá Artur.
Linkei-me ao teu blog.
Uma velha amiga que se lembrou de vir aqui...Um abraço natalício!
Carolina
(fábulassonhadas.wordpress.com)

Jovita Raquel disse...

Seguindo, segue de volta? (: